Jotta A surge como Drag Queen para promover primeira música secular

Jotta A usou as redes sociais para publicar três fotos suas vestido como drag queen e dois vídeos com mulheres transexuais que atuam no movimento LGBT desde os anos 1990.

O ex-cantor gospel havia dito em seu perfil no Instagram que estava numa jornada de descoberta do “universo” que havia adentrado ao “sair do armário” e se dedicaria a dar visibilidade a esse grupo.

“Estou me esforçando pra conhecer mais sobre o universo que adentrei, meu respeito a todos e todas que abriram o cosmo, em especial às mulheres trans, travestis e drag queens, por mim e por vocês tenho trabalhado muito. Em breve vocês me conhecerão! Até logo!”, escreveu o ex-cantor gospel na ocasião.

Agora, com a publicação do ensaio fotográfico vestido como drag queen, Jotta A suscitou comentários diversos nas redes sociais. A série de publicações é uma iniciativa para promover sua primeira música como artista secular.

Jotta A – que chegou a ter contrato com a gravadora Central Gospel Music, do pastor Silas Malafaia – anunciou seu rompimento com a música evangélica em maio de 2020.

Recentemente, relatou estar se submetendo a tratamento psicológico para conseguir lidar com as críticas nas redes sociais e alegadas ameaças que teria sofrido.

Em depoimento ao jornalista Thiago Rocha – especializado em fofocas sobre celebridades – do programa A Tarde é Sua, da RedeTV!, o artista afirmou que ouviu de pessoas o desejo que ele abandonasse a música.

“Desde que ele se revelou gay, ele tem recebido diversas ameaças, das coisas mais absurdas. Tem essas ameaças de morte, dezenas de mensagens de ódio e algumas pessoas desejando inclusive que ele tivesse parado de cantar”, relatou Rocha no programa de Sonia Abrão.

Fonte Gospel Mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: